19 de outubro de 2014

Ilhas de plástico matam 1,5 milhões de animais por ano.


Cerca de 1,5 milhões de aves, peixes, baleias e tartarugas morrem por ano por causa de lixo plástico no mar. E o problema pode agravar-se. Segundo estudos científicos divulgados em Quito, cinco «ilhas» desses resíduos flutuam nos oceanos Pacífico, Atlântico e Índico.
«A cada ano, os plásticos (no mar) matam 1,5 milhões de animais», afirmou Laurence Maurice, do Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento (IRD) francês. «No Pacífico Norte, 30% dos peixes ingeriram plástico no seu ciclo de vida», acrescentou.


Durante a Semana da Água, organizada pela embaixada francesa em Quito, Maurice, que é directora mundial de pesquisas do IRD, apresentou estudos recentes sobre o que chama de «o sétimo continente»: massas não-compactas de dejectos plásticos que estão à deriva nos três principais oceanos.
«A (ilha de dejectos) do Pacífico é a maior. As outras são um pouco menores», disse Maurice.
Por volta de 1997, essa massa de resíduos foi avistada pela primeira vez no Pacífico Norte, entre a costa californiana e o Havaí. Desde então, triplicou de tamanho e, agora, ocupa uma superfície de 3,5 milhões de km2. Esta ilha cresce, aproximadamente, «80.000 km2 por ano», alertou esta especialista em Hidrogeoquímica Ambiental.
Um artigo publicado em 2012 por especialistas da Universidade da Califórnia na revista Biology Letters, da sociedade de pesquisas britânica Royal Society, já advertia que esses resíduos de microplásticos - partículas menores a cinco milímetros - formavam uma «sopa mortal» para o ecossistema marinho.