13 de fevereiro de 2016

Canarios Discontinuos 2015/16

Rosemary Standley & Dom La Nena - Bird On The Wire

DOM LA NENA



DOM LA NENA

sounds from web

 

canário timbrado espanhol

Toca Rufar

Toca Rufar




Roncos do Diabo - Baile das Oliveiras

canarios timbrado español

Canarios de Canto Timbrado Español

El arte de vivir la guitarra y el flamenco - Paco de Lucía

el arte de vivir el Flamenco de Diego del Gastor

Miranda do Douro

Malinois Waterslager canary bird

9 de fevereiro de 2016

65º aniversario del Festival de Granada




Festival Internacional de Música y Danza de Granada


The Festival today


The International Festival of Music and Dance of Granada is a living instrument of cultural, educational, tourist and socioeconomic activity all within a common framework of EMOTION.

This is reflected not only in the programmes and their contents, but also in the way in which these activities are presented to audiences.

Emotion expressed in artistic offerings of outstanding quality; emotion in the enjoyment of the most beautiful and original spaces in Granada and its province; emotion in the discovery of what Granada has to offer in the way of unique experiences in cultural tourism which each year are discovered by more people from every corner of Spain and abroad; emotion and satisfaction in the realisation that, for a few weeks, the Granada Festival becomes a real motor of the city’s economy on account of the thousands of artists, orchestras, companies and visitors who arrive specifically to attend this feast of the senses.

The Nazrid palaces and centennial gardens of the Alhambra in Granada are this Festival’s most impressive sign of identity and a unique setting for its performances. At the beginning of summer hundreds of spectators enjoy the music and the dance, infused by the aroma of the lush vegetation of the gardens of the Alhambra and under the impact of the amazing Nazrid, renaissance and romantic architecture which has made of Granada the so-called Gateway to the South.

And side-by-side with the performances that take place in the Alhambra there is a broad mosaic of artistic events which extends throughout Granada and its province and is available for public enjoyment: this is the FEX which represents the extension of the Festival throughout the city and the province of Granada. The most spectacularly monumental sights of the city (the Cathedral, the Royal Chapel, the Monastery of San Jeronimo, the Sacromonte Abbey, the Carthusian Monastery, the Royal Chancellery, the Casa de Castril, the Casa de los Tiros and the churches), together with the contemporary buildings, the many squares and street corners make the Festival a popular event enjoyed by thousands; audience numbers are increased by visitors and tourists who come to Granada specially for the Festival. And Granada is not only the city but also theprovince. The province includes more than ten municipalities which every year make a contribution to this cultural fiesta more....






8 de fevereiro de 2016

Fado vai "reinar" durante seis meses em Ponte de Sor



O fado vai «reinar» durante seis meses em Ponte de Sor, no Alto Alentejo, durante um festival dedicado à canção nacional, que conta com seis espetáculos e um concurso para promover «novas vozes».

A primeira edição do Festival do Fado do Alto Alentejo é promovida pelo Elétrico Futebol Clube, de Ponte de Sor, no distrito de Portalegre, com o apoio do município.

“A ideia surgiu entre amigos e como o clube é muito eclético, com muitas atividades, resolvemos realizar este festival como forma de captar verbas para combater o passivo" da instituição, disse hoje à agência Lusa o presidente do Elétrico Futebol Clube, José Carlos Lobato.

Segundo o dirigente desportivo, que está a cumprir o seu primeiro mandato (desde 2014), a situação financeira do clube é “ muito complicada”, com uma "dívida grande".

Pelos palcos do Cineteatro de Ponte de Sor e do anfiteatro da zona ribeirinha, espaços escolhidos para acolher o festival, vão passar António Pinto Basto (dia 19 deste mês), Joana Amendoeira (18 de março), José da Câmara (15 de abril), Maria Armanda (20 de maio), Ana Lains (17 de junho) e Custódio Castelo (22 de julho).

A fadista Dora Maria vai ser a “anfitriã” do festival, que conta ainda com a participação, como músicos residentes, de Pedro Amendoeira, na guitarra portuguesa, João Chora, na viola, e Fernando Maia, no baixo.

A iniciativa integra ainda um concurso destinado a promover e incentivar novas vozes, que é dividido em duas categorias: infantojuvenis (até aos 16 anos) e seniores (a partir dos 16 anos).
“Tem existido um bom ´feedback`, as pessoas querem participar também no festival. Nós já temos inscrições de fadistas de várias partes do país, esperamos desta forma que a iniciativa tenha sucesso”, disse.

Diário Digital com Lusa


7 de fevereiro de 2016

El arte de vivir el Flamenco de Arcangel

Estructura genética del Canario de Canto Español Discontinuo (English subtitles)



Trabajo realizado por Jesús Bravo sobre la Estructura genética del Canario de Canto Español Discontinuo (CCED) a partir de la información genealógica. Participan en este estudio la Universidad Complutense de Madrid y el Registro de Pedigrí del Canario de Canto Español Discontinuo.

Work done by Jesus Bravo, on the genetic structure of Canario Canto Español Discontinuo (CCED) based on the genealogical information. Participating in this study the Complutense University of Madrid and the Pedigree Registration of Canario Canto Español Discontinuo

Cristina Pato



Cristina Pato

sounds from web

sounds from web

6 de fevereiro de 2016

Timbrado Campeón Cataluña FOCDE 2015

Timbrado Sub Campeón Cataluña FOCDE 2015

Idanha-a-Nova entra na rede de vilas e cidades da Música reconhecidas pela UNESCO


O ministro da Cultura mostrou, nesta sexta-feira, em Idanha-a-Nova o seu “orgulho” pelo reconhecimento “mais do que justo” da vila como Cidade da Música da UNESCO, no âmbito da rede de Cidades Criativas.
“Quero transmitir ao povo de Idanha-a-Nova o orgulho por esse reconhecimento mais do que justo”, afirmou João Soares, durante a sessão de boas-vindas, no salão nobre dos Paços do Concelho.
João Soares realçou o “trabalho de excelência” feito nos últimos anos pelo município de Idanha-a-Nova na afirmação dos valores culturais do concelho.
“Estou aqui com algum atraso, porque tinha dito ao presidente da Câmara que devia ter estado aqui imediatamente a seguir à consagração de Idanha-a-Nova. É a minha responsabilidade como ministro da Cultura”, disse, explicando que nesse dia não pôde estar presente devido a uma reunião do Conselho de Ministros.
Idanha-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, na Beira Baixa, foi oficialmente aceite, em dezembro, no grupo de Cidades da Música da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).
Em causa está uma rede de cidades nesta e noutras áreas artísticas com o objetivo de promover o desenvolvimento social, económico e cultural destas comunidades, tendo por base as indústrias criativas.
Entre as entidades que apoiaram a candidatura de Idanha-a-Nova estiveram o Governo português, a Associação Portuguesa de Educação Musical, o Sindicato dos Músicos, dos Profissionais do Espectáculo e do Audiovisual, a Comissão Portuguesa da UNESCO e várias cidades que já têm o título de Cidade da Música, com destaque para Mannheim, na Alemanha, Bolonha, em Itália, Sevilha, em Espanha, e Hamamatsu, no Japão.

Festival de Guitarra de Castelo Branco


3 de fevereiro de 2016

La arte de vivir el Flamenco de CHOCOLATE DE GRANADA


JOSÉ CARMONA CORTÉS, cantaor gitano, más conocido en el mundo de la historia del arte del cante flamenco con el nombre artístico de 
EL CHOCOLATE DE GRANADA, nació en el año de 1945, y murió el 16 de marzo de 1986. 
Se inició en reuniones en su ciudad natal, para actuar seguidamente en Málaga y formar parte del elenco de la bailaora Mariquilla, que tuvo que abandonar por enfermedad.
Reapareció para cantar en Paris, en la sala de Fiesta Bataclan, desde donde paso a Barcelona contratado por el tablao Los Tarantos. Realizó su primera grabación discográfica y con la bailaora La Singla recorrió Alemania y otros países europeos en giras artísticas. En 1972, actuaba en el tablao madrileño  El Corral de la Pacheca, junto a La Tolea

mas in El arte de Vivir el Flamenco

Recordando los Cantes de Granada




2 de fevereiro de 2016

AvesPT


"Dialogue des Carmélites", de Poulenc, no Teatro Nacional de S. Carlos


A soprano Dora Rodrigues protagoniza a ópera “Dialogue des Carmélites”, de Francis Poulenc, numa encenação de Luís Miguel Cintra, que se estreia na quarta-feira, no Teatro Nacional de S. Carlos (TNSC), em Lisboa.
“Dialogue des Carmelites”, uma coprodução entre o TNSC e o Teatro da Cornucópia, dirigida por João Paulo Santos, com cenografia e figurinos de Cristina Reis, e encenação de Luís Miguel Cintra, estará em cena na quarta e sexta-feira e também no domingo.
Dora Rodrigues lidera um “vasto elenco quase exclusivamente português”, afirma o TNSC em comunicado.
Daquele elenco fazem parte os cantores líricos Luís Rodrigues, Mário João Alves, Ana Ester Neves, Ana Paula Russo, Maria Luísa de Freitas, Eduarda Melo e Carlos Guilherme, Teresa Netta, Carolina Figueiredo, João Terleira, Ricardo Panela, Christian Lujan, Helena Vieira, Helena Afonso, Mariana Castelo Branco, Ariana Russo, Sara Afonso, Rita Marques, Rita Crespo, Inês Madeira, Catarina Rodrigues, Nélia Gonçalves e Rita Tavares.
A ópera, em três atos e 12 quadros, decorre durante o chamado “período de terror” que se seguiu à Revolução Francesa, em 1789, e parte de um facto verídico, a morte na guilhotina, na Place du Trône (atual Place de la Nation), em Paris, de 16 freiras carmelitas, que, em 1906, foram beatificadas pelo papa Pio X.
“Dialogues des carmélites” subiu à cena, no São Carlos, em Lisboa, pela primeira vez, em 1958 e, posteriormente, em 1970.
Sobre o compositor francês, afirma o TNSC, que Francis Poulenc (1899-1963) é “uma personalidade bem representativa de uma sensibilidade musical tipicamente francesa”.
“Há na sua obra duas facetas contrastantes, que por vezes se interpenetram: uma ligeira, sorridente, irónica; outra séria, por vezes mesmo austera, e também com uma derivante religiosa. Em ambas essas facetas, sempre existe uma extrema elegância e um melodismo requintado”, remata o TNSC no mesmo comunicado.
A estreia da ópera foi antecedida de uma série de atividades, nomeadamente palestras, e a primeira exibição na Cinemateca Portuguesa, em Lisboa, da produção franco-italiana “O diálogo das carmelitas” (1960), de Philippe Agostini e de Raymond Leopold Bruckberger, com com Jeanne Moreau, Alida Valli, Madeleine Renaud, Pierre Brasseur e Jean-Louis Barrault, entre outros.
Francis Poulenc (1899-1963) decidiu compor a ópera a partir da peça de George Bernanos, levada à cena, em Paris, em 1962.
A ópera, em versão italiana, estreou no Alla Scala, em Milão, em janeiro 1957, com um libreto do dramaturgo Flavio Testi, e, em junho do mesmo ano, subiu à cena na Ópera de Paris, com um libreto em francês de autoria do compositor.

1 de fevereiro de 2016

En el mes de julio, Córdoba se convierte en la Ciudad de la Guitarra.

En el mes de julio, Córdoba se convierte en la Ciudad de la Guitarra. 



El Festival de la Guitarra de Córdoba (España) es un referente cultural y lúdico de la ciudad durante este período del verano cordobés. 
El Festival oferece dos áreas complementarias:
por un lado, el denominado Programa Formativo, con cursos sobre construcción de guitarra, guitarra antigua, guitarra clásica, flamenca, contemporánea, moderna, cursos de composición para guitarra, y cursos de baile y cante flamenco. 
Por otro lado, el Programa de Grandes Conciertos y Espectáculos, que se desarrollan en recintos y plazas emblemáticos de la ciudad, que hacen de la noche cordobesa una auténtica delicia. 
Por el Festival de Córdoba han pasado las mayores figuras de la guitarra flamenca, moderna, del jazz y de la música clásica y antigua. Para completar la oferta musical, la guitarra sirve como excusa para dar cabida a un gran número de espectáculos, conciertos, proyecciones de cine, exposiciones y conferencias.


El Arte de Vivir el Flamenco


El Arte de Vivir el Flamenco 

Equipo 2015 - Timbrado Español Discontinuo






27 de janeiro de 2016

Juan Prieto Jimeno - Rio Onor 1976





Rio de Onor é uma aldeia e foi uma freguesia raiana portuguesa do concelho de Bragança, com 44,16 km² de área e 76 habitantes (2011). Densidade: 1,7 hab/km².
Foi extinta em 2013, no âmbito de uma reforma administrativa nacional para em conjunto com Aveleda, formar uma nova freguesia denominada União das Freguesias de Aveleda e Rio de Onor e tem a sede em Aveleda.
Rio de Onor subsiste ainda como aldeia comunitária. Este regime pressupõe uma partilha e entreajuda de todos os habitantes, nomeadamente nas seguintes formas:
Partilha dos fornos comunitários;
Partilha de terrenos agrícolas comunitários, onde todos devem trabalhar;
Partilha de um rebanho, pastoreado nos terrenos comunitários.
Rio de Onor partilha com a aldeia alentejana de Marco uma outra característica única: a aldeia é atravessada a meio pela fronteira internacional entre Portugal e Espanha, sendo para efeitos oficiais a parte espanhola distinguida como Rihonor de Castilla, e sendo ambas as partes conhecidas pelos seus habitantes como "povo de acima" e "povo de abaixo", não se distinguindo assim de facto como dois povoados diferentes, como erradamente se assume em diversas literaturas.
Na verdade, este povoado singular assume, para além de um regime de governo próprio, um dialecto próprio e quase extinto, pertencente ao grupo do asturo-leonês, à semelhança da língua mirandesa.
Gado atravessando a povoação.
Tipicamente trasmontana, a aldeia apresenta casas tradicionais compostas por dois andares: no andar de cima moram as famílias, no andar de baixo ficam o gado, os cereais e outros produtos da terra.

sounds from web

SONS PELA CIDADE SETE CONCERTOS / SETE COLINAS



A Câmara Municipal de Lisboa em parceria com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e diversas Juntas de Freguesia da cidade, organiza o programa Sons Pela Cidade - Sete Concertos /Sete Colinas, que decorrerá durante 7 meses.
Num domingo de cada mês os solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa e da Orquestra Académica Metropolitana oferecerão à cidade um concerto
.

Dia 31 de Janeiro -17h00 – Auditório da Academia Estrela , Rua do Quelhas, 32
Entrada Livre
Programa:  

 H. I. F. v. Biber Battalia a 10  
 I. Stravinsky Suíte Pulcinella  
 A. Vivaldi Concertos d’As Quatro EstaçõesOutono Inverno  
 [arranjos de Roman Alekseev]


Solistas: Diana Tzonkova (violino), Ercole de Conca (contrabaixo)

24 de janeiro de 2016

sounds from web

Cante Alentejano pela primeira vez em Madrid em fevereiro




O cante alentejano far-se-á ouvir pela primeira vez em Madrid, no dia 13 de fevereiro no Teatro do Círculo de Bellas Artes, com os cantadores de Vila Nova de São Bento e Os Ganhões de Castro Verde.

Além dos grupos dos concelhos de Serpa e Castro Verde, "estará igualmente presente um instrumento muito associado ao cante, a viola campaniça, interpretada pelos Moços D`uma Cana", disse à Lusa fonte da organização.

O Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento nasceu em abril de 1986, de "encontros ocasionais na taberna a beber uns copos", disse fonte do Festival Terras Sem Sombra (FTSS), que organiza esta iniciativa.
"Cantaram, como era tradição, gostaram de ouvir-se, vibraram de entusiasmo e sob a euforia um deles terá sugerido que deviam formar um rancho e a ideia instalou-se nos espíritos, fervilhou, avolumou-se, galvanizou-os, a ponto de convidarem alguns amigos para o novo rancho", que atualmente conta com 30 elementos.
A Associação de Cante Alentejano "Os Ganhões" de Castro Verde, cujo grupo estará em Madrid, tem como objetivos, a preservação e divulgação do cante alentejano, dos usos e costumes do concelho de Castro Verde, manter em funcionamento grupos corais de cante alentejano e promover ações por sua iniciativa ou colaborar com outras entidades, com vista à referida preservação e divulgação do cante alentejano".
O grupo Moços D´Uma Cana é o resultado de um projeto do agrupamento de Escolas de Castro Verde em parceria com as autarquias locais e a Cortiçol - Cooperativa de Informação e Cultura.
Este projeto "passa pela construção e o ensino do toque da viola campaniça em âmbito escolar, e uma vez terminado o percurso escolar, os alunos envolvidos decidiram formar-se como associação/grupo em prol da defesa da construção e do toque da viola campaniça, bem como do cante alentejano".
Os Moços d´uma Cana são David Pereira, José Abreu, David Caetano, Bruno Guerreiro, João Marques, Rodrigo Valentim, Jorge e Miguel Madeira, Renato Marques, Miguel Carrapiço e Cristiano Luz.
"Pela primeira vez, um território une-se em torno da música, património e biodiversidade, para levar o Alentejo a Madrid. A cultura é a melhor forma de promoção de um país, e o FTSS é o veículo de transmissão destes valores ancestrais, e pela primeira vez, o Cante Alentejano, património imaterial da Humanidade desde 2014, poderá ser ouvido em Madrid", disse à Lusa Sara Fonseca, directora executiva do FTSS.
A estreia do Cante Alentejano em Madrid faz parte do programa de apresentação da 12.ª edição do FTSS na capital espanhola, no dia 11 de Fevereiro, às 12:00, na embaixada de Portugal.
O certame realiza-se este ano sob o lema "Torna-Viagem -- o Brasil, a África e a Europa (da Idade Média ao século XXI)", de Fevereiro a Julho no Baixo Alentejo, numa organização do Departamento de Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja, sendo seu diretor artístico Juan Ángel Vela del Campo.


23 de janeiro de 2016

XXXVI Feira do Fumeiro de Vinhais

O Maior Evento Gastronómico da Região Norte do País, a Feira do Fumeiro de Vinhais, já tem data marcada. Irá decorrer de 4 a 7 de Fevereiro de 2016.



Vinhais é freguesia e sede de concelho, pertence ao distrito de Bragança, Região Norte e sub-região do Alto Trás-os-Montes.

A freguesia de Vinhais estende-se por uma área de 33,76km2 distribuída pelas povoações de Vinhais, Rio de Fornos, Moás, Armoniz e Ermida, com 2 382 habitantes (2001).

É sede de um município com uma área de 694,68km2 e 10 646 habitantes (2001), subdividido em 35 freguesias.

O concelho é limitado a norte e oeste pela Espanha, a este pelo concelho de Bragança, a sul pelos concelhos de Macedo de Cavaleiros e Mirandela e a oeste pelos concelhos de Valpaços e Chaves.