30 de Outubro de 2014

Mozart


Talking starling bird


The music Mozart jotted down in the book is fairly close to the opening theme of the third movement of his Piano Concerto No. 17 in G, K. 453, which Mozart had completed a few weeks earlier (12 April).Mozart presumably taught the bird to sing this tune in the pet store, or wherever it was that he bought it. According to Mozart's transcription, the starling incorrectly inserted a fermata on the last beat of the first full measure, and sang G sharp instead of G in the following measure.

Mozart probably was not joking when he made the transcription, because starlings are known to have a very strong capacity for vocal mimicry.


The bird Mozart brought home lived as a pet in his household for three years and died on 4 June 1787. Mozart buried the creature in the back yard and wrote a commemorative poem for the occasion. Deutsch 1965 calls the poem "serio-comic". However, West and King note, based on their extensive experience, that starling pets interact closely with their human keepers, often causing their owners to bond with them. Thus, Mozart's expression of sorrow may have been quite sincere.

27 de Outubro de 2014

Canário TIMBRADO ESPANHOL -SpaNisH tiMbrADo canary Fancier


Flamenco



2014 ha sido el año del afianzamiento del Festival Flamenco en Rusia-San Petersburgo, que cuenta con la colaboración de deflamenco.com. Belén Maya, Sara Calero y Dorantes con Leonor Leal lograron convocar al público ruso y consiguieron arrancarles largos, sonoros y marciales plausos –la costumbre es aplaudir al unísono cuando algo gusta- en el Concert Hall Finlandsky.

Belén Maya, que inauguraba escénicamente el festival, acudía a la cita con la ilusión de bailar en la capital mundial de la danza clásica. José Anillo cautivó con su voz tan flamenca, al igual que el guitarrista Rafael Rodríguez, cuya zambra guitarra provocó un cálido aplauso en mitad de la función. También Laura González y Vanesa Montero tuvieron ocasión de lucirse como bailaoras, aunque su peso principal en el montaje fue llevar el compás con las palmas. Belén Maya bailó con bata de cola y mantón, pero lo más espectacular fue el homenaje a su padre, el gran Mario Maya, con la recreación de su famoso baile por martinete en la silla. Ese fue sin duda el momento más espectacular de la función, que provocó incluso que una de las bailarinas más importantes de Rusia, Vera Arzubova coreógrafa y ex primera Solista del Teatro Mikhailovsky (uno de los referentes de la danza en todo el mundo) quisiera saludar y conocer personalmente a la bailaora al terminar la función.

la arte de vivir el flamenco de Pedro Sierra

Spanish Timbrado Canary Singing Vol.2 - Canary Training Video

24 de Outubro de 2014

Charles Edward Conder

Charles Conder

  • 1868–1909
  • Nationality: British
British painter and occasional printmaker, born in London, a direct descendant of the great 18th-century sculptor Roubiliac. In 1884 he emigrated to Australia to work for his uncle, a surveyor, but he gave this up for art. He mainly painted landscapes at this time and was influenced by Tom *Roberts, whom he met in Melbourne, where Conder lived from 1888 to 1890 (see Heidelberg School). Then he returned to Europe, briefly visiting England before moving to Paris, where he studied at the *Académie Julian and became part of a circle of artists, including *Anquetin, *Bonnard, and Henri de Toulouse-Lautrec (1864–1901). He appears in two of Lautrec's paintings of the Moulin Rouge, and like Lautrec was notoriously dissipated; his friend William *Rothenstein said he was ‘often without a sou, but…never without a lady’. In 1897 Conder settled in London, but he made frequent visits to Dieppe and Paris. His work was seen in numerous exhibitions, including one-man shows, and he became a well-known figure in the art world, but he fell seriously ill in 1906 from syphilis and stopped painting. 
more in BBC 

19 de Outubro de 2014

Spanish timbrado canary bird -Greece

Spanish timbrado canary bird

Bach

Ilhas de plástico matam 1,5 milhões de animais por ano.


Cerca de 1,5 milhões de aves, peixes, baleias e tartarugas morrem por ano por causa de lixo plástico no mar. E o problema pode agravar-se. Segundo estudos científicos divulgados em Quito, cinco «ilhas» desses resíduos flutuam nos oceanos Pacífico, Atlântico e Índico.
«A cada ano, os plásticos (no mar) matam 1,5 milhões de animais», afirmou Laurence Maurice, do Instituto de Pesquisas para o Desenvolvimento (IRD) francês. «No Pacífico Norte, 30% dos peixes ingeriram plástico no seu ciclo de vida», acrescentou.


Durante a Semana da Água, organizada pela embaixada francesa em Quito, Maurice, que é directora mundial de pesquisas do IRD, apresentou estudos recentes sobre o que chama de «o sétimo continente»: massas não-compactas de dejectos plásticos que estão à deriva nos três principais oceanos.
«A (ilha de dejectos) do Pacífico é a maior. As outras são um pouco menores», disse Maurice.
Por volta de 1997, essa massa de resíduos foi avistada pela primeira vez no Pacífico Norte, entre a costa californiana e o Havaí. Desde então, triplicou de tamanho e, agora, ocupa uma superfície de 3,5 milhões de km2. Esta ilha cresce, aproximadamente, «80.000 km2 por ano», alertou esta especialista em Hidrogeoquímica Ambiental.
Um artigo publicado em 2012 por especialistas da Universidade da Califórnia na revista Biology Letters, da sociedade de pesquisas britânica Royal Society, já advertia que esses resíduos de microplásticos - partículas menores a cinco milímetros - formavam uma «sopa mortal» para o ecossistema marinho.

15 de Outubro de 2014

Music Box Antike Spieluhr Spieldose von ca. 1885



a reação dos canários timbrado espanhol é interessante ficam com vontade de cantar :)

Carmen Amaya





Paco Peña - Farruca

Força dos Trópicos

Cinco artistas baianos, cinco dedos estrugidos num punho de força, expansão e explosão batem à porta do mundo, marcando uma geração fértil da arte contemporânea. Numa exposição colectiva, cada um expõe o seu universo de vivências, convulsões e desafios estéticos remodelando as bases da arte em diálogo com o humano, oferecendo a sua própria versão para o célebre verso de Terentius "homo sum, homini nihil a me alienum puto" [sou homem e nada do que é humano não me é estranho],






Na próxima 6ª Feira, dia 17 de Outubro pelas 21h30, cinema na MAPA :
"Força dos Trópicos" de Maria João Coutinho e Simion Doru Cristea, um documentário cujo teaser enviamos para aguçar o apetite...
Lá vos esperamos para mais um visionamento seguido de conversa e debate animado.

Mais uma vez, com a presença dos realizadores.
Entrada Livre.

Rua da Junção do Bem, 64 Oeiras.

Informações: 96 27576 48 

Lema para os Renascentistas. Por tal razão, cada espectador torna-se vidente, tendo a oportunidade de se encontrar com ele próprio e ao mesmo tempo com o mundo inteiro, sentir perto o que considerava longe, num enunciado simples: "Força dos Trópicos".

14 de Outubro de 2014

Uma visita do Oriente


http://www.shanghai.gov.cn/shanghai/node27118/ 

 
Uma delegação de Xangai, liderada por Yin Yicui, vereadora da Câmara da cidade chinesa, onde vivem mais de 23 milhões de pessoas, visitou hoje o Porto e encontrou-se com o presidente da Câmara na Biblioteca Municipal Almeida Garrett e na Galeria Municipal, onde está a ser ultimada a exposição SUB40. Em causa as relações do Porto com cidades do oriente. No encontro participaram igualmente os vereadores da Cultura (Paulo Cunha e Silva) e do Ambiente e Inovação (Filipe Araújo)