26 de maio de 2015

Portal permite identificação online da flora portuguesa


Um portal de internet permite a identificação de flores recolhidas nos passeios pelo campo em Portugal, apenas sendo necessário que o utilizador responda a questões sobre o número de pétalas, como estão unidas e qual a cor.

O portal flora-on, gerido pela Sociedade Portuguesa de Botânica (SPB) e com o endereço em http://www.flora-on.pt/, sistematiza informação fotográfica e geográfica da flora portuguesa, contando com mais de duas mil espécies catalogadas e cerca de 199 mil registos geográficos.

Responsável pela coordenação do portal, Miguel Porto disse à agência Lusa que o projeto interativo tem cerca de três anos e está em contínua atualização.

"Começou entre conhecidos", acrescentou o também presidente da SPB, sublinhando que se "aceitam colaborações de qualquer pessoa".

Menos experiência na recolha de um planta obriga a que os voluntários submetam fotografias, além das coordenadas do local da observação, para melhor confirmação da espécie e rigor da informação, acrescentou.

Entre as várias funcionalidades do portal, Miguel Porto destacou a identificação das espécies "feita de forma interativa e fluída", ao bastar que a pessoa vá indicando quais as características que observa no exemplar, cujo nome desconhece.

Um processo que se desenvolve "sem utilizar vocabulário muito técnico", para que seja acessível à maior parte das pessoas, notou o responsável, referindo haver registo quer de plantas naturais de Portugal, quer exóticas.

As observações das plantas no terreno constroem, ainda, um mapa e o calendário de florações.

"Se indicarmos um local concreto, com coordenadas, vai cruzar com os dados de observação e revelar qual a espécie que já foi observada na área", comentou Miguel Porto, segundo o qual a SPB conta com pessoas de "todas as formações e idades".


No horizonte está a criação de uma aplicação para dispositivos de comunicação móveis, mas a "prioridade é melhorar o site", disse.

Entre os principais utilizadores estão professores e estudantes dos ensinos secundário e universitário, nomeadamente nas aulas de biologia.

O site agrega ainda dados bioclimáticos de plantas, como a distância à costa, a temperatura mínima e o índice de continentalidade.