29 de junho de 2015

Grupo coral "Os Arraianos de Ficalho"



O grupo foi fundado em 1937 na Casa do Povo de Ficalho, e teve diversas formações ao longo do tempo. A 23 de Março de 1937 participou no "Sarau Alentejano", promovido pela Casa do Alentejo no Teatro São Luís em Lisboa, juntamente com os grupos corais de Mértola, Vidigueira e Aldeia Nova de São Bento. Em Novembro de 1939 foram visitados pelo etnomusicólogo Armando Leça, que gravou no Baixo Alentejo os grupos corais de Moura, Serpa, Aldeia Nova de São Bento, Baleizão, Aljustrel, Castro Verde e Mértola. Em Vila Verde de Ficalho o grupo misto de cantadores interpretou as modas: "Deus Menino", "Encomendação das Almas", "Olha a noiva", "Lerar o gado" e "Andorinha a voar". O grupo era constituído por dez elementos do género masculino e quatro elementos do género feminino. A 30 de Novembro de 1940 actuaram na Casa do Alentejo, em Lisboa, aquando da conferência realizada por Armando Leça "Da Música Popular do Baixo Alentejo". Na década de 60, os fluxos migratórios para França e Lisboa provocaram o despovoamento da comunidade e ameaçaram a continuidade do grupo. Bento José Maria (Mestre do grupo) ensaiador e autor de muitas modas, que ainda hoje fazem parte do repertório, como "A Águia", escreveu uma moda cujos versos testemunham essa realidade: Abalou para Lisboa/ Com esperança de voltar/ O ponto do nosso grupo/Nunca mais se ouvi-o cantar... "Os Arraianos" foram resistindo, quando em finais da década de 60 são visitados por Michel Giacometti. Os elementos mais idosos, como Francisco Guerreiro Grilo, ainda recordam um homem de cabelo comprido e gravador em punho, que foi a Ficalho várias vezes para gravar as suas modas.