30 de novembro de 2015

Cinco plantas que a NASA recomenda para purificar o ar da sua casa




Além de deixarem o ambiente de qualquer casa mais alegre, as plantas são ideias para filtrar o ar do local. Mas nem todas cumprem essa tarefa com a mesma eficácia.
Em 1989, a NASA fez um estudo para determinar quais as mais indicadas para cumprir essa missão num ambiente fechado. A pesquisa levou em consideração vários poluentes do ar, além das características das plantas e da facilidade de se obtê-las.
Os poluentes mais comuns e que as plantas se encarregam de filtrar são: benzeno, xileno, amoníaco, tricloroetileno e formaleído.


A BBC entrou em contacto o autor do estudo, Bill Wolverton, que hoje dirige a ONG Wolverton Environmental Services, para ver se as recomendações da época continuam válidas.
Ele resumiu a lista e recomendou as cinco melhores plantas para limpar o ar de uma casa. E também sugeriu «ter variedade, já que algumas são melhores que outras para eliminar substâncias químicas específicas do ar».
Esta é a selecção feita por Wolverton:


Jibóia (Epipremnum aureum)
Uma planta folhosa bem popular e fácil de ser obtida. É muito resistente e não requer grandes cuidados. Por isso é bastante utilizada em escritórios, lojas e outros locais públicos. Adapta facilmente a temperaturas entre 17ºC e 30ºC, e só é preciso regá-la quando a terra estiver seca.É eficaz na absorção de formaleído, xileno e benzeno.

Lírio da paz (Spathiphyllum)
É uma planta que sobrevive com pouca luz e pouca água. Cresce em temperaturas superiores a 18ºC e é bastante longeva. Recomenda-se que seja mantida longe de correntes de ar. Ela absorve os cinco contaminantes de ar analisados pela NASA.

Palmeira-dama (Raphis excels)
Também conhecida como palmeira-ráfis, é originária da Ásia e pode chegar a até três metros de altura. O seu cultivo é melhor em áreas com temperaturas medianas e sem luz directa. De acordo com a agência especial americana, ela encarrega-se de eliminar do ar o formaleído, xileno e amoníaco.

Espada-de-São-Jorge (Sansevieria trifasciata)
De origem africana, é bastante utilizada na decoração de interiores, até por ter a vantagem de sobreviver bem em condições desfavoráveis. Pode aguentar temperaturas bem altas (até 40ºC) e bem baixas (-5ºC), se esses extremos ocorrerem de maneira esporádica. É boa para eliminar benzeno, xileno, formaleído e também o toluene e o tricloroetileno.
Árvore-da-borracha (Ficus elastica)
É muito resistente e, como tem um elevado índice de transpiração, ajuda a manter a humidade do ar. Em poucos anos, pode crescer muito rapidamente. É eficiente na eliminação do benzeno, xileno e toluene e também age contra o formaleído e o tricloroetileno.