28 de agosto de 2016

A EPAL afirmou hoje que as ETAR de Alcântara e da Guia, na região de Lisboa, cumprem as regras ambientais de descarga, reagindo a uma avaliação da Zero que as coloca entre as 10 mais poluidoras da água

EPAL assegura que ETAR de Alcântara e da Guia cumprem regras ambientais de descarga

"As ETAR referidas [de Alcântara, em Lisboa, e da Guia, na costa do Estoril] cumprem os parâmetros estabelecidos por lei, definidos na respetiva licença de descarga", salienta uma informação da Empresa Pública de Águas Livres - EPAL, empresa que opera aquelas unidades.
Os resultados das análises realizadas periodicamente, salienta a EPAL, "estão abaixo dos limites estabelecidos por lei".
A Associação Sistema Terrestre Sustentável - Zero analisou dados reunidos pela Agência Europeia do Ambiente (EEA na sigla em inglês) para as instalações em Portugal e fez dois 'rankings' com 10 posições - um para a poluição do ar e outro para a poluição da água, divulgados na sexta-feira.
Resultado de imagem para air pollution images
Na avaliação correspondente aos recursos hídricos avaliou informação de 56 instalações e 27 poluentes e concluiu que a Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Matosinhos é a instalação mais poluente em Portugal, enquanto a unidade de Alcântara ocupa o segundo lugar e a SANEST - Saneamento da Costa do Estoril, em Cascais, está na quarta posição.
A EPAL refere que a informação foi divulgada "forma descontextualizada" e defende que "todas as ETAR que, como as referidas, cumprem a respectiva licença de descarga, são unidades de despoluição".
Por isso, continua a empresa, "é incorrecto tratar estas importantes infraestruturas, essenciais à qualidade do ambiente e à saúde pública, como unidades poluidoras sendo, isso sim, unidades de despoluição essenciais à qualidade de vida das populações".
Resultado de imagem para water pollution images etar
A empresa, que também gere o abastecimento de água em Lisboa, aponta que a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) "acompanha de forma permanente o excelente desempenho das instalações" e tanto a ETAR de Alcântara, como a da Guia, "estão equipadas com as melhores e mais eficientes tecnologias".
Aliás, salienta, parte da água residual tratada naquelas instalações é reutilizada, quer interna quer externamente, "o que evidencia o seu elevado grau de qualidade".